Uncategorized

Goust007 o meu amigo da internet.

Goust007 o meu amigo da internet.
Goust007 é um amigo no qual tenho conversas safadas pela Net, de tanto teclar-mos, a confiança se foi instalando, quase todos os dias teclava-mos e tínhamos conversas muito atesuadas, era muito tesão quando conversávamos. O 007 como vou chamar no resto do tempo, tanto me convidou para me encontrar com ele, que um dia decidi alterar as minhas férias em Portugal, para poder dar umas fodas com ele. Então num verão tirei os bilhetes de avião e mandei-me para Portugal, comecei as férias no sul e fui subindo para o norte, e na última semana, foi para a cidade dele o que marquei logo encontro assim que lá cheguei. O 007 morava sozinho então não teve problemas em me oferecer dormida em casa dele, fiquei lá 3 dias e depois foi mais para norte quase já em Espanha, mas o que interessa é o que se passou em casa do 007.

Assim que cheguei a cidade, ele foi-me buscar a estação de comboio, 007 tinha uma empresa de janelas de alumínio, assim que entrei no carro recebeu uma chamada de um fornecedor, tivemos que passar por lá por causa de um problema com o material. Problema resolvido fomos para casa, o 007 tinha tirado 3 dias de férias para me mostrar a cidade, e alguns pontos turísticos que tinha nas proximidades. Assim que chegamos a casa, fomos pousar as malas no quarto de hóspedes, mas eu bem que achava que não ia ser usado esse quarto, o meu dedinho me dizia que era só para enganar freguês. Fiquei impressionado com o tamanho da casa, uma casa moderna toda em betão armado, o salão tinha uma parede toda em viro, quando me mostrou onde erão os WC fiquei impressionado, cada quarto tinha o seu WC privado, e a casa de banho era mais um quarto de que uma casa de banho habitual, tinha banheira, jacuzzi, uma coluna de duche com massagem, bem tudo o que o luxo tem de direito. Quem via a casa por fora, não imaginava o luxo que ia lá dentro. O meu amigo 007 foi buscar duas cervejas e fomos para as traseiras da casa, tinha um enorme jardim, uma terraço, piscina com uma estátua mesmo no centro a mijar para a água, o que achei muito oreginal, tinha verduras que vedavam todo o limite do terreno dele, e suficientemente altas para dar toda a privacidade necessária. Sentamo-nos a beira da piscina a beber, começámos a falar da suíça, pois ele tinha viajado varias vezes lá.

Então comecei a mudar de assunto, perguntei se era habitual convidar homens para casa dele como estava a fazer comigo, respondeu que não, que nunca tinha levado homem algum para casa dele, que sempre manteve distancia entre as aventuras e o domicilio dele, que eu era diferente, éramos amigos, eu morava em outro pais, e que vim de ferias a Portugal, que estava a visitar Portugal, e como amigo não poderia deixar ir para o hotel quando tinha casa. Era a versão que os amigos e familiares tinham ouvido e que passaria despercebido. Eu dei um sorriso e meti a minha mão entre as pernas dele, apalpei o mastro dele e disse, então não há problema em em fazer isto. Ele aproximou-se de mim, a respondeu-me com um beijo na boca. Perguntei onde era o WC pois já estava confuso com aquele casarão, ele levantou-se e acompanhou-me o WC, assim que lá tirei o caralho para mijar, ele ajoelhou-se no chão e segurou-me no caralho, no momento em que comecei a mijar, ele começou a dar-me beijos no caralho, eu nunca teria imaginado que ele iria por o caralho na boca dele, eu senti uma excitação de minha parte, mas estava em casa dele, então deixei-me levar na onda. Sentir aquela boca que me apertava o caralho, a mão dele que me acariciava os colhões, aquela vontadinha de mijar e tentar controlar a urina, para não mijar tudo de uma vez só. Assim que acabei de lhe urinar na boca, meti as minhas mãos na cabeça dele, e comecei a dar-lhe com o caralho todo na boca dele, enfiava-lhe ate sentir o nariz dele na minha cintura. Antes que eu me esporra-se todo, levantamo-nos e fomos outra vez para as traseiras da casa.

Eu tirei as sapatilhas e foi sentar-me na beira da piscina, ele estava já todo excitado por me ter chupado o caralho, que começou a tirar a roupa toda a minha frente. Quando dei com aquele homem todo despido fiquei impressionado com o corpo dele, realmente magico um homem assim, um corpo idêntico o meu bem peludo, os dois mais o menos da mesma idade, o meu caralho voltou a ficar todo duro só em ver aquele homem nu a minha frente. Dirigi-me a ele pus a minha mão na nuca dele, puxei-o para mim e beijei ele, começou ali então os apalpanços. A mão dele que se incrustava nas minhas nádegas, os nossos caralhos que começavam a endurecer e a se cruzar com os balanços que dávamos, sentir o calor ele, o corpo peludo dele que se russava no meu corpo, é um prazer que nos levava a excitação. Fomos dar um mergulho, e ficamos ali agarradinhos dentro da água os beijos, o caralho bem duro submerso na água, se mantinha direitinho e levantado, então dei um mergulho e agarrei-me as coxas dele, enfiei o caralho dele na boca, comecei a chupar aquele caralho ali dentro de água, que bem que me sabia, aquela sensação de não respirar, ter aquele pedaço de carne que me invadia toda a boca, o gostinho do liquido que me descia pela garganta abaixo, e quando não conseguia conter mais a respiração, imergia dando a ele o lugar para me chupar a mim o caralho. Era a mim de sentir uma boca que me chupava o caralho por debaixo de água, aquela boquinha que engolia todo o meu caralho, a língua macia que me acariciava a cabeça do caralho, agarrado com uma mão na minha perna e a outra que me acariciava o cu, sempre que ele engolia o meu caralho ate os colhões, ele metia-me um dedo no cu, depois já não conseguia conter a respiração e veio o decima.

Sentou-se na beira da piscina e eu fiquei na água, aproximei-me meti minhas mãos por trás das costas dele, e comecei a chupar-lhe o caralho, ali com o corpo a boiar na água com caralho dele na minha boca, fiquei ali por alguns minutos, depois saímos da piscina e fomos para as camas elásticas, ficamos ali deitados a nos beijarmos por algum tempo, nos estávamos com tanta vontade de nos foder um ao outro que tentávamos manter o máximo de tempos possível, guardar o tesão. Deitou-se por cima de mim e voltou o chupar-me o caralho, ali com o corpo dele todo em cima de mim, aqueles pelos todos que ruçavam em meu corpo, a boca dele que me apertava o caralho, ele chupava com tanta vontade, os dentes dele que me arranhavam o caralho, como de cossegas se trata-se. Eu via o caralho dele que balançava a frente da minha cara, metia a língua de fora e por vezes lá tocava com a língua, decidi-me agarrar os colhões e começar a chupar, aquele par de colhões, bem redondinhos e peludos, aquilo o excitou tanto que ficou parado com o meu caralho na boca dele, mas sem fazer movimento algum, soltando um gemido me dizia que era bom, que cria mais, chupa-me o caralho dizia ele, meti o caralho dele na boca, e comecei a chupar, aquela cabecinha redondinha, um caralho tão gostoso que era. Decerto que começou a sentir uma excitação, porque ele começou a fazer movimentos de vai e vem com o caralho, como se a minha boca se trata-se de uma cona, o que me estava a meu lado a excitar também, ele tinha um caralho sufecientemente grande para eu poder engolir todo ate os colhões, sem ter problemas de me engasgar.

Levantamo-nos e fomos para a relva, porque na cama elástica não estaca a ser muito confortável, então ajoelhei-me ele pegou-me pela cabeça e continuou o que me estava a fazer, senti o caralho dele entrar na minha boca de uma só vez. eu já me babava todo, mas continuava a ser fodido na boca, ele começou a gemer dizendo que se ia vir, então eu tirei a boca, mandei ele deitar no chão. Deitei-me em cima dele e comecei a chupar o caralho dele com muito carinho, pois não cria perder uma gota só do esperma dele. Com a mão nos colhões e outra no mamilo, continuei abocanhar o caralho, senti que seu corpo estava a ficar mais tenso, e um jacto que me invadia a boca, aquele gostinho meio que salgado meio que doce, que me penetrava a boca toda, os meus lábio que apertavam o caralho bem apertadinho, deixando a cabeça dentro da boca, a esporra que me ficava dentro da boca e eu ia degustando os poucos e poucos, e por fim levanto-me e dou-lhe um beijo na boca ainda com alguma esporra, adoro estes beijos com recheio. Ficamos ali deitados por uns dois minutos, e então foi a minha vez, ele meteu-se de quatro e eu de joelhos, peguei ele pela cabeça e comecei a foder-lhe a boca, em primeiro senti a língua dele que deslizava na cabeça do meu caralho, depois por todo o caralho, e então quando a excitação era muita, comecei a foder a boca dele como se de uma cona se trata-se. Ele tinha uma barba que me fazia cócegas cada vez que eu enfiava o caralho todo dentro da boca dele, o que me dava uma inteira satisfação, quando comecei a sentir que estava a chegar o momento, deitei-me no chão, ele deitou-se a minha frente e ficou ali agarradinho o meu caralho a chupar, ate que eu acabei por me vir na boca dele. Deitei tanta esporra que senti que se tinha engasgado no primeiro jacto, gemendo disse a ele que também cria esporra, o que ele percebeu e assim que já não me esporrava mais ele veio-me beijar, para me dar a provar a minha esporra também.

Já com os caralhos e colhões descarregados, levantamo-nos e fomos a cozinha, sentamo-nos na mesa a conversar e a beber mais uma cerveja, a fome começava a tomar lugar, então ele pegou no telefone e encomendou duas pizzas numa pizzaria que livrava a casa, em quanto as pizzas não chegavam ficamos ali a falar de sexo, a ficar com tesão, ele começou a dizer que cria que eu lhe fode-se o cu como um a****l, e que também me cria foder o cu todo. Eu sabia que seriam três dias de muito calor e excitação, a campainha toca, ele carrega no botão para abrir o portão e manda entrar, desta vez já era a campainha da porta de entrada que tocava, abriu a porta e era o rapaz das pizzas, com as duas pizzas. Fomos para a mesa, abrimos mais uma cerveja e comemos as pizzas que estavam muito boas, as nossas fomes eram tantas que comemos as pizzas em menos de 5 minutos, ainda com a ultima fatia de pizza na boca, ajoelhei-me agarrei o caralho dele e comecei a chupar, o caralho estava naquele estado que me excita muito, meio que teso meio que mole, eu comecei a chupar com muita vontade, a espera que ele voltasse a ganhar tesão novamente, quando o caralho dele se endireitou e ficou bem duro, trocamos de posição e veio ele me chupar o meu caralho, que não teve problemas em ficar duro nem com mais tesão, na verdade o dele também não, levantei-me e virei-o contra a mesa, empurrei a cabeça dela para que se baixa-se, e ficou ali com os braços abertos na mesa o corpo deitado com o cu empinado para mim, baixei-me e comecei a a chupar os colhões e de seguida a lamber o cu peludo que tinha, que bem que me estava a saber lamber aquele cu peludo, a língua que deslizava pela raia dele, e voltava o olho do cu, eu tentava sempre empurrar a ponta da língua para a entrada do cu dele, comecei a meter o dedo indicador no cu, de seguida outro dedo, depois quando sentia que os dois dedos entravam com facilidade, levantei-me fiquei debruçado nele, dei-lhe os dedos a mamar, e encostei a cabeça do meu caralho no cu dele, fiz uma pequena pressão, apoiei-me com uma mão no ombro dele, e a outra peguei ele pela cintura, e de uma só vez enfiei o caralho ate sentir os colhões que batiam nele. Ele solta um grito, seguido com um gemido, parei por alguns segundos com os colhões a bater-lhe no cu, senti uma dor no caralho, o meu caralho tinha esgaçado a pele toda, o facto de enfiar todo de uma só vez sem lubrificação, esgaçou-me a pele, começei os movimentos de vai e vem, sentia um ardor no caralho, mas o mesmo tempo o cuzinho apertadinho me dava um enorme prazer. Comecei a dar tocadas com mais força, a excitação começou a subir, peguei nele e deiteio de costas na mesa, abri-lhe as pernas e voltei a foder-lhe, em cada tocada que eu dava ele regalava-me os olhos como se teve-se a ter um orgasmo, eu sentia um enorme prazer em estar a foder aquele belo homem, os gemidos dele me excitavam, pedindo que o fode-se mais e mais, não me estava a dar muito jeito fomos para o quarto, na cama seria melhor, e teríamos mais prazer.

Deitou-se na cama e ficou ali de perninha aberta com as mãos por debaixo da cabeça, a olhar para mim disse que me cria ver a lamber o cu dele, então ajoelhei-me elevei as pernas dele e comecei a lamber aquele cu, já com o cheirinho do meu caralho, lambi e metia a língua, como já tinha o cu aberto, a ponta da língua dava a impressão de entrar um pouco, então voltei a posicionar o caralho e voltei a foder-lhe aquele cu com muita vontade. Meti ele em posição de quatro e acabei de o foder assim, de quatro eu agarrado as ancas dele, enfiar o meu caralho ate os colhões, ele com a mão dele acariciava o caralho dele, já tinha o próprio caralho bem duro, eu cada tocada que dava sentia os meus colhões bater nos seus colhões. Comecei a sentir que estava na hora de me vir e deitei-me na cama, ele debruçou-se sobre mim e veio me chupar o caralho, engolindo o caralho todo na boca, ele estava tão excitado que me dava a crer que era a primeira vez que estava a chupar um caralho quase a se esporrar na boca dele, como se esteve-se ansioso pela esporra, e lá eu senti aquele prazer pelo caralho acima, e esporrei-me na boca dele, ainda tive um pouco de esporra uma boa degustação para a boca dele, ele engoliu tudo e continuou a chupar-me o caralho durante uns bons 10 minutos, ate que o caralho ficou em repouso absoluto.

Deitou-se em cima de mim e voltamos a nos beijar, ficamos ali na marmelada por um bom momento, e depois ele começou a beijar o meu corpo, ia deslizando e descendo os poucos e poucos, levantou-me as pernas para cima, e levou-mas para perto da cabeça, eu fiquei com os joelhos perto da cabeça, ali com o cu empinado, ele segurava-me com as mãos e começou a lamber-me o cu, senti a língua húmida dele que deslizava pelo anelzinho do meu cu, o calor da língua me excitava, aquele deslize macio da língua no cu me causava uma excitação que me descontrolava, ainda não me estava a foder e já me estava a sentir uma putinha, eu já soltava gemidos como uma cadela com cio. Com a posição em que eu estava, ele debruçou-se e meteu as mãos nos meus pés, fazendo pressão para eu ficar naquela posição, eu via o meu caralho balançar mesmo ali na minha boca, com a mão eu esticava o meu caralho, e conseguia tocar-lhe com a língua, ele o ver aquilo ainda fazia mais força para me facilitar, consegui encostar a cabecinha nos lábios, aproveitava que ele me estava ajudar para lamber o meu caralho, aquilo excitou tanto o 007, que ele começou a passar a cabeça do caralho dele, eu estava muito excitado em ter a cabecinha do meu caralho na minha boca, que nem estava a fazer atenção que ele se estava a preparar para me foder o cu. Ali no meu delírio e excitação sentia que me fazia mais pressão para me manter o caralho na boca, as costas já me doíam muito, mas eu não cria parar, a excitação era mais forte, e lá senti uma dor enorme que me rasgava o cu ate a garganta, uma dor que me paralisou o corpo todo, eu estava com tanta excitação que tinha o cu completamente descontraído, o que facilitou a penetração do caralho dele, mas não estava preparado nem um dedo ele meteu no cu. Ele não parou começou logo a foder-me o cu, eu gemia de dor e de prazer o mesmo tempo, entre tanto a dor começa a passar, e o prazer a aumentar, começou a dar tocadas mais fortes e cada vez que me dava uma tocada eu sentia que o meu caralho cria entrar mais na minha boca, eu so tinha a cabecinha que encostava na língua, ele perguntava se eu cria mais, eu respondia que sim, naquele momento a minha excitação não era o ele me estar a foder, mas sim o facto de ele me foder e me facilitando um auto broche, eu estava nas luas, eu gemia dizendo que cria enterrar a cabeça do meu caralho na boca, não sei se sentia dor, ou se era puro prazer, o que sei é que lhe excitei de tal forma que ele começou a foder-me como um a****l. Começou a enfiar com tanta forca que acho que as tocadas que me dava eu sentia mais rápido do que poderia imaginar, de tanta pressão que me fez que acabei por conseguir meter a cabeça do caralho toda dentro da boca, e ele com muita excitação me fodia mais e mais, lá eu não pode me conter e esporrei-me todo dentro da boca, ele continuava a foder-me o cu como um a****l, pela primeira vez eu estava a chupar o meu caralho e esporrei-me na boca, tive o prazer de degustar do meu leitinho directamente da boca, eu já o tinha feito mas não daquele modo, lá ele retirou o caralho do meu cu, e veio se deitar em posição 69 sobre mim, enfiou-me o caralho todo dentro da boca e começou a chupar o meu caralho, o meu caralho não endurecia, pois tinha acabado de me vir, mas estava a ter um enorme prazer a mesma em ser chupado, senti um jacto me invadir a garganta, um gostinho muito agradável, eu já tinha acabado de engolir do meu esperma e agora estava a engolir o esperma dele, abocanhei então com mais prazer, pois me excitava o caralho que me cuspia esporra na boca, chupei aquele caralho muito bem chupado, fiquei ali a chupar por muito tempo, e ele a mim fizemos um belo 69, mas nossos caralhos já não se endireitavam, e ficamos a chupar em caralhos moles, que também dava uma bela excitação, pois podia-mos engolir o caralho todo, e brincar com a língua, chupar, sugar, até que nos cansámos e fomos para a banheira tomar um banho.

Chegados a banheira começámos por meter gel de banho um no outro, aquelas mãos que me esfregavam o corpo, e me acariciavam o caralho, senti um vontade de mijar, então 007 baixou-se e começou a chupar-me o caralho, mesmo sem endurecer, eu sentia um enorme prazer na cabeça do caralho, a língua dele que ruçava, o que me fez mijar sem que me pudesse conter. Com o meu caralho na boca, 007 não deixou perder uma gota que fosse, bebeu todo o meu mijo, depois o meu caralho lá começou a endurecer, levantei-me e acabamos de tomar um banho, ele fui encher o jacuzzi, e estávamos a preparar para entrar no jacuzzi, quando deu vontade a ele de mijar, ele desta vez foi matreiro, pois pediu que lhe chupa-se o caralho se nada me dizer, então eu entrei no jacuzzi e fiquei de joelhos ali a chupar naquele caralho que já estava a endurecer na minha boca, de repente senti um jacto me invadir a boca, como foi um jacto pequeno, pensei que se tratasse de esporra, engoli tudo e lá notei que não era esporra mas sim mijo, dei um sorriso e lá ele solta a mangueira de vez, eu como já tinha começado não quis deixar pela metade, fiz exactamente o que ele me fez, bebi todo o mijo dele sem deixar uma gota cair na água, então fiquei depois a chupar por alguns minutos ate que ele se voltou a vir, ainda saiu uma gotita de esporra, quase nada mas foi o suficiente para eu me levantar agarrar ele e o beijar. Ficamos no jacuzzi por uma boa hora ate nos irmos vestir e descansar na sala a ver um filme.

Assim começou o primeiro dia dos três dias, foram três dias de muita excitação, acompanhado de novas experiências, no meu último dia vivemos uma experiencia diferente, a qual quem sabe contarei em outra história. Por agora lá fica parte de que pode ser uma história, um fantasma ou um simples conto. Para ti meu amigo, contínua assim como és…

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir

gaziantep escort antep escort izmir escort karşıyaka escort malatya escort bayan kayseri escort bayan eryaman escort bayan pendik escort bayan tuzla escort bayan kartal escort bayan kurtköy escort bayan ankara escort kayseri escort marmaris escort fethiye escort trabzon escort film izle bursa escort bursa escort bursa escort esenyurt escort avcılar escort ankara escort çapa escort mersin escort keçiören escort konuşanlar izle mersin escort kızılay escort escort ankara hack forum eryaman escort escort demetevler escort ankara escort bayan